Boletim 3 – Nova certificação condominial ajuda a qualificar nível de segurança de dados

Até dezembro de 2020, entrará em vigor a Lgpdp (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais), que promete movimentar todas as empresas que trabalham a partir de coleta de dados pessoais no Brasil. Isso engloba também a área imobiliária.

Como um princípio de adequação às novas regras, o setor criou o projeto “Condomínio Seguro”, um selo de segurança para que a sociedade reconheça quais os condomínios vão oferecer o mínimo de segurança em compliance com as melhores práticas internacionais de segurança de dados.

De acordo com Walfrido Brito Pinheiro, CEO da BI Business Indicators – Gestão de TI, é necessário que todos que trabalham com dados dos cidadãos comecem a buscar maneiras de se adequar às leis, que prometem mexer de forma brusca com a dinâmica e negócios das empresas. O executivo participou do I Seminário Condomínio ESS, realizado paralelamente à Exposec – Feira Internacional de Segurança.

“As ações contra empresas em relação ao uso de dados pessoas pode se tornar o novo processo trabalhista, considerando nossa cultura. A empresa terá o custo de se defender, o custo de imagem. Um custo econômico forte que pode gerar um colapso no negócio. Será um aprendizado para as empresas brasileiras. Vazamento de dados tem levado empresas à desvalorização”, alerta.

Aplicativos de segurança individual e para mulheres são apresentados na Exposec

Projetos e sistemas para segurança coletiva e patrimonial já são realidade em nossa sociedade. Por esse motivo a Security Care, uma startup que integra a Ilha das Startups na Arena ABESE Conecte-se, na Exposec 2019, decidiu inovar e oferecer garantias para o indivíduo e sua família.

O Sistema de Proteção Compartilhada Security Care tem três funções que o diferencia de tudo o que há no mercado. Segundo Elton Stall, diretor Comercial da empresa. A que mais chama a atenção é a função “Mulher + Segura” que, ao contrário do botão de alerta distribuído pela Justiça para mulheres que têm alguma medida protetiva, é automático. “O botão do pânico, como é chamado, precisa ser acionado pela vítima”, lembra Stall. “Já nosso sistema, operado via celular, avisa a aproximação da ameaça e emite um alerta tanto para a mulher como para familiares e a própria polícia. O alerta é acionado quando a pessoa que está proibida chega à distância determinada pela Justiça”.

O programa pode ser baixado gratuitamente por meio das lojas virtuais da Apple ou da Samsung. “O primeiro passo é adicionar cinco pessoas de confiança para receberem alertas em caso de emergência e ficar à disposição para também receber alertas de quem a pessoa estiver disposta a proteger”.

Rede de Proteção

A outra função do Security Care é a Rede de Proteção. “Para maior segurança criamos uma rede de proteção que inclui usuários próximos independente de estarem no grupo adicionado”, explica Stall. “Assim, quem estiver num raio de 500 metros e possuírem o programa receberão o alerta em caso de algum problema e poderão ajudar”.

Alerta programado

Essa funcionalidade coloca entes queridos sob a sua proteção. “Através dela é possível acompanhar pessoas que o usuário escolhe para proteger (filho, esposa, pais…) durante determinado período”, afirma Stall. “Se o protegido não estiver no local determinado na hora programada é gerado um alerta para o protetor. Desta forma é possível saber, por exemplo, se o filho chegou em segurança na escola no horário certo”.

Startup oferece terceirização de monitoramento de câmeras 

Empresas que vendem equipamentos de segurança eletrônica convivem com as dificuldades de oferecer o monitoramento das câmeras adquiridas por seus clientes. De olho nesse mercado potencial, a Skynet, que integra a Ilha de Startups, localizada na Arena ABESE Conecte-se, na Exposec, oferece uma solução: a terceirização do monitoramento utilizando uma tecnologia inovadora em relação ao mercado, aumentando a produtividade da equipe, qualidade do atendimento e nível de informação disponível para nossos clientes e para os usuários finais, segundo Roberto Leon, idealizador da empresa. “Com sistema de monitoramento próprio, todo desenvolvido em tecnologia web, a aplicação oferece alto nível de segurança e proteção com relação às informações de clientes”, garante. “Além disso, o usuário final tem a grande vantagem de poder acessar tudo através de um simples Smatphone”.

Leon afirma que sua intenção é criar o “UBER do monitoramento”. “Tanto que o cliente irá dar notas pelo serviço prestado”, garante. Leon explica que como o sistema funciona totalmente via web, os monitores poderão trabalhar em suas casas, sem a necessidade de ter um local específico. “Vamos formar essas pessoas e daremos todo suporte para atuarem”. 

A Ilha de Startups funciona dentro da Arena ABESE Conecte-se com as empresas participantes escolhidas através de uma seletiva. “O Comitê de Startups da ABESE foi pensado para aproximar o setor tradicional de segurança aos novos empreendedores, acelerando a validação, desenvolvimento e expansão de novos negócios para todo o setor”, explica Edson Pacheco, coordenador do Comitê de Startups da Abese.

Serviço:

Exposec – Feira Internacional de Segurança
Data:21 a 23 de maio de 2019
Horário: 13h às 20h
Local:São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo/SP

Informações para Imprensa:

2PRÓ Comunicação 
E-mail equipe: fieramilano@2pro.com.br
Teresa Silva – (11) 3030-9463 | 99228-7836
Renê Gardim – (11) 3030-9422 | 96098-8438
Myrian Vallone – (11) 3030-9404
www.2pro.com.br